DONNA HARAWAY THE PROMISES OF MONSTERS PDF

Este esboo da artefactualidade da natureza e do aparelho de produo corporal nos ajuda a um outro ponto importante: a corporeidade da teoria. Abrumadoramente, a teoria corporal e a teoria literal. A teoria no sobre assuntos distantes do corpo vivido; Pelo contrrio. A teoria qualquer coisa menos desencarnada. As declaraes mais lindas sobre a descontextualizao radical como a forma histrica da natureza no capitalismo tardio so tropos para a encarnao, a produo, a literalizao da experincia nesse modo especfico.

Author:Maujinn Arashilabar
Country:Puerto Rico
Language:English (Spanish)
Genre:Personal Growth
Published (Last):14 January 2006
Pages:366
PDF File Size:6.63 Mb
ePub File Size:1.6 Mb
ISBN:950-9-70256-226-4
Downloads:22467
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Faelkree



Este esboo da artefactualidade da natureza e do aparelho de produo corporal nos ajuda a um outro ponto importante: a corporeidade da teoria.

Abrumadoramente, a teoria corporal e a teoria literal. A teoria no sobre assuntos distantes do corpo vivido; Pelo contrrio. A teoria qualquer coisa menos desencarnada. As declaraes mais lindas sobre a descontextualizao radical como a forma histrica da natureza no capitalismo tardio so tropos para a encarnao, a produo, a literalizao da experincia nesse modo especfico.

Esta no uma questo de reflexo ou correspondncia, mas de tecnologia, onde o social e o tcnico implodem um no outro.

A experincia um processo semitico - uma semiose de Lauretis, As vidas so construdas; Ento melhor nos tornar bons artesos com os outros actores mundanos da histria. H uma grande quantidade de reconstruo a fazer, comeando com um pouco mais de topografia com a ajuda de dispositivos pticos equipados com filtros vermelhos, verdes e ultravioleta. Repetidamente, este ensaio gira sobre figuras de gravidez e gestao. Zoe Sofia me ensinou que toda tecnologia uma tecnologia reprodutiva.

Ela e eu quisemos dizer isso literalmente; Os modos de vida esto em jogo na cultura da cincia. Gostaria, no entanto, de deslocar a terminologia da reproduo com a da gerao. Muito raramente nada realmente reproduzido; O que est acontecendo muito mais polimrfico do que isso. Certamente, as pessoas no se reproduzem, a menos que se clonem, o que sempre ser muito caro e arriscado, para no mencionar chato.

Mesmo a tecnocincia deve ser feita no modelo paradigmtico no do fechamento, mas daquilo que contestvel e contestado. A cincia se torna o mito no do que escapa agncia e responsabilidade em um reino acima da briga, mas sim a responsabilidade e responsabilidade por tradues e solidariedades que ligam as vises cacofnicas e as vozes visionrias que caracterizam os conhecimentos dos corpos marcados da histria. Atores, bem como actantes, vm em muitas e maravilhosas formas.

E o melhor de tudo, a "reproduo" - ou menos imprecisa, a gerao de formas novas - no precisa ser imaginada nos termos bipolares pesados dos homindeos. O artefactualismo inclinado para o produo; Os raios do meu dispositivo ptico difratam em vez de refletir. Esses raios de difrao compem padres de interferncia, no refletindo imagens. Trinh estava procurando uma maneira de entender a "diferena" como uma "diferena crtica dentro", e no como marcas taxonmicas especiais que estabelecem diferena como o apartheid.

As metforas de Trinh Minhha sugerem outra geometria e ptica para considerar as relaes de diferena entre as pessoas e entre os seres humanos, outros rgos e mquinas do que a dominao hierrquica, a incorporao de partes em todos, a proteo paternalista e colonialista, a fuso simbitica, a oposio antagnica ou a produo instrumental de recurso. Suas metforas tambm sugerem o difcil trabalho intelectual, cultural e poltico que essas novas geometrias exigiro. A difrao no produz "o mesmo" deslocado, como reflexo e refrao.

A difrao um mapeamento de interferncias, no de replicao, reflexo ou reproduo. Um padro de difrao no mapeia onde as diferenas aparecem, mas sim mapas onde os efeitos da diferena aparecem.

Trpicamente, para as promessas de monstros, o primeiro convida a iluso de posio essencial e fixa, enquanto o segundo nos treina para uma viso mais sutil. A fico cientfica genericamente preocupada com a interpenetrao de fronteiras entre eus problemticos e outros inesperados e com a explorao de mundos possveis em um contexto estruturado pela tecnocincia transnacional.

SF-fico cientfica, futuros especulativos, fantasia cientfica, fico especulativa - um sinal especialmente apto para conduzir um inqurito sobre o artefactual como uma tecnologia reprodutiva que pode emitir em algo diferente da imagem sagrada do mesmo, algo inapropriado, inapropriado , E, portanto, talvez, de forma inadequada.

Essas figuras publicitrias nos lembram a corporeidade, a materialidade mundana e a literalidade da teoria. Essas figuras do cyborg comercial nos dizem o que pode contar como a natureza nos mundos da tecnocincia. Acima de tudo, eles nos mostram a imploso do tcnico, textual, orgnico, mtico e poltico nos poos de gravidade da cincia em ao. Esses nmeros so nossos monstros companheiros no Progresso do Peregrino do livro de viagem deste ensaio.

Considere a Figura 1, "Algumas palavras sobre a reproduo de um lder no campo", o slogan publicitrio do sistema de duplicao de software da Logic General Corporation. O impacto visual e verbal imediato insiste no absurdo de separar os tpicos tcnicos, orgnicos, mticos, textuais e polticos no tecido semitico do anncio e do mundo em que esse anncio faz sentido. Sob as cores do arco-ris de laranja a amarelo do logotipo terra-sol do Logic General, o coelho branco biolgico tem seu mesmo assim, sexo e gnero no esto to resolvidos neste sistema reprodutivo de volta para ns.

Ele tem suas patas em um teclado, esse resduo inercial e antiquado da mquina de escrever que permite que nossos computadores se sintam naturais para ns, de modo fcil de usar.

A interface do usurio do computador funciona de forma diferente. Mesmo que ela no entenda as implicaes de seu teclado mentiroso, o coelho branco est em sua casa natural; Ela totalmente artefactual no sentido mais literal.

Tanto o sistema material como o smbolo para a medida da fecundidade, esse tipo de coelho no ocorre em nenhuma outra natureza do que o laboratrio, a cena preeminente de prticas de replicao. Com Logic General, claramente, no estamos em um laboratrio biolgico.

O coelho orgnico v a sua imagem, mas a imagem no seu reflexo, de fato, especialmente no o reflexo dela. Este no o mundo de espelhos de Lacan; A identificao primria e a substituio metafrica de amadurecimento sero produzidas com outras tcnicas, outras tecnologias de escrita. As tripas do computador produzem outro tipo de produto visual do que reflexes distorcidas e de auto-parto. O coelho simulado nos olha primeiro. Ela tambm tem as patas em uma grade, apenas uma reminiscncia de uma mquina de escrever, mas ainda mais uma reminiscncia de um cone mais antigo da tecnocincia - o sistema de coordenadas cartesianas que localiza o mundo nos espaos imaginrios da modernidade racional.

Em seu habitat natural, o coelho virtual est em uma grade que insiste no mundo como um jogo jogado em um quadro de xadrez. Este coelho insiste que os atores verdadeiramente racionais se replicaro em um mundo virtual onde os melhores jogadores no sero Homem, embora ele possa permanecer como a carruagem puxada por cavalos que deu sua forma ao vago de ferro ou mquina de escrever que deu forma ilusria Para a interface do computador. O sinal privilegiado funcional neste sistema no ser to facilmente confundido com o rgo urinrio e copulativo de um primata masculino.

A substituio metafrica e outras circulaes no domnio simblico muito material sero mais provveis de serem efetuadas por um mouse competente.

A feminilidade de ambos os coelhos, claro, no confia em que os novos jogadores do homem sejam mulheres. Mais provvel, o coelho que interpelado para o mundo neste estgio no-espelho, esse momento difractivo da constituio do sujeito, ser alfabetizado em uma gramtica bastante diferente do gnero.

Ambos os coelhos aqui so cyborgs - compostos orgnicos, tcnicos, mticos, textuais e polticos - e nos chamam para um mundo em que talvez no desejemos tomar forma, mas atravs de quem "Miry Slough" devemos viajar Para chegar em outro lugar. Logic General um tipo de escrita muito particular.

As apostas reprodutivas neste texto so formas de vida futuras e formas de vida para humanos e no-humanos. Em apenas dois anos, esses monoclonais finos geraram mais de artigos publicados - maior do que qualquer taxa de produo literria por mim ou por qualquer um dos meus colegas humanos nas cincias humanas. Mas esta taxa alarmante de publicao foi alcanada em e certamente foi superada pelas novas geraes de mediadores de replicao literria de biotecnologia.

Nunca a teoria foi mais literal, mais corporal, mais tecnicamente adepta. Nunca houve o colapso das distines "modernas" entre o mtico, o orgnico, o tcnico, o poltico e o textual no poo da gravidade, onde a iluminao no iluminada transcendental da Natureza e da Sociedade tambm desapareceu, foi mais evidente. Cheio de promessas, rompendo a primeira das fronteiras finais que se multiplicam, o monstro pr- histrico Ichthyostega rasteja do oceano amnitico para o futuro, para a terra seca, mas perigoso, atraente.

Nossa salmo no-mais-peixe, no-salada, acabar totalmente identificada e separada, como o homem no espao, finalmente desencarnada, assim como o heri da fantasia de JD Bernal em The World, the Flesh e o Diabo. Mas, por enquanto, ocupando a zona entre.

CASQ CBOK PDF

DONNA HARAWAY - The Promises of Monsters

For Haraway, the Manifesto offered a response to the rising conservatism during the s in the United States at a critical juncture at which feminists, in order to have any real-world significance, had to acknowledge their situatedness within what she terms the "informatics of domination. To ground her argument, Haraway analyzes the phrase "women of color", suggesting it as one possible example of affinity politics. Using a term coined by theorist Chela Sandoval, Haraway writes that "oppositional consciousness" is comparable with a cyborg politics, because rather than identity it stresses how affinity comes as a result of "otherness, difference, and specificity". Her new versions of beings reject Western humanist conceptions of personhood and promote a disembodied world of information and the withering of subjectivity.

BE WISE AS SERPENTS BY FRITZ SPRINGMEIER PDF

The Promises of Monsters: A Regenerative Politics for Inappropriate/d Others

.

MASNAVI MAULANA RUMI IN PDF

The Promises of Monsters: a Regenerative Politics for Inappropriate/d Others

.

ANANTHANARAYAN AND PANIKERS TEXTBOOK OF MICROBIOLOGY 8TH EDITION PDF

Donna Haraway

.

Related Articles